O que você procura?

Após carta, Tárcio manda sinais de arrependimento com o ‘Novo Tempo’

16/03/2018



Após a recente carta do ex-candidato a prefeito de Cuité, Tárcio Pessoa (PPS), onde o mesmo deixa claro que não apoia a candidatura da sua prima, a vereadora Rafaela Camaraense (PPS), a deputada estadual, agora, por meio de um dos dissidentes do bloco político liderado pelo seu tio, o prefeito Charles Camaraense (PPS), o ex-socialista mandou sinais de arrependimento com o projeto que o mesmo defendeu.

No textão, o ex-secretário de Estado não escondeu seu arrependimento com o ‘Novo Tempo’ que o mesmo ajudou, e ajudou mesmo, a se concretizar desde 2012, quando se lançou candidato e tomou para si o desgaste da derrota acachapante pela ex-prefeita Euda Fabiana (MDB), com 1946 votos de maioria. O receptador da mensagem ficará em sigilo.

O clima é tenso no clã Camaraense. Há quem diga que até uma candidatura de Tárcio para deputado federal foi proposta sob a condição da retirada da candidatura de Rafaela e uma concentração de forças voltadas para o seu primo, mas a proposta não foi aceita. Com isso, mais lenha, ou melhor, gasolina foi jogada na fogueira da ira de Tárcio, que não perdeu tempo e se solidarizou com o seu aliado cuiteense, com o qual semeou o projeto vitorioso do ‘Novo Tempo’.

Segundo informações, Tárcio tem cobrado espaço junto à gestão que ajudou a eleger. O mesmo busca resultados para apresentar ao povo de um projeto que prometeu a mudança e pouco tem mostrado em quase 1 ano e meio de mandato. Mas, conforme algumas fontes, não há acordo nos recentes encontros entre tio e sobrinho. O teor das conversas tem sido nitroglicerina pura.

Com o clima de rompimento do ex-secretário, Charlistas já estão despertando para o desgaste acumulado pelo prefeito junto a sua base em pouco tempo de gestão. Diferente do que se falava, os rompimentos tidos até agora e os que por ventura venham a acontecer estão fazendo os aliados crerem que o problema não são os insatisfeitos e, sim, o comandante do processo, que tem sido irredutível e mantido o que já dissera anteriormente, que “não se curva a ninguém!”.

Confira abaixo a íntegra da carta do ex-secretário Tárcio Pessoa.

Dentro deste contexto, olhando o cenário paraibano me pergunto: pq tem tanto filho ou esposa urgidos pelo pai ou marido para avanço nas esferas políticas?

Questiono, relação parental tem relação direta competência?

Tive a curiosidade de buscar em países desenvolvidos como funciona tal relação e fiquei estarrecido com nosso Brasil e principalmente com nossa Paraíba.

Daí surgiu a questão: existe nepotismo maior do que o transplante consanguíneo de sufrágios entre pai e filho ou entre marido e mulher?

Por conseguinte, chego a seguinte conclusão, há nepotismo maior e mais evidente do que o fenômeno impositor, principalmente em terras paraibanas, de consolidação de votos parentais?

Se é para quebrar o nepotismo, que se quebre de forma ampla, ou seja, não se nomeie parentes para cargos públicos nem se fomente candidaturas de entes parentais usando o substrato político para impulsionar esposa, filho ou qualquer porra dessa!

Se é pra moralizar, que se moralize na essência pois já chega de tanta escrotagem!

Bem, sei que minhas palavras serão dissipadas como poeira no vento, e que o faça o que digo mas não o que eu faço será a máxima em outubro de 2018.

No entanto, dessa postagem fica uma afirmação pessoal minha, não votarei em esposa de A, filho ou filha de B ou parente de C!

Se é pra moralizar que se moralize a pratica com o discurso doa a quem doer! Essa é minha posição!

Essa foi a conclusão que me veio à mente ao analisar a questão. "Pau que surra Chico, deve surrar Francisco!" Se é nepotismo nomear parentes para cargos ou funções públicas, deve ser considerado fato mais delituoso dento da esfera moral, bancar Mae, esposa, filho ou filha para cargo eletivo!

Vamos acabar com essa estória de julgar pessoas pelo sobrenome e passar a julgar currículo e capacidade de fazer a diferença!

Assim acho q devemos radicalizar, eu pessoalmente não apoio sob nenhuma hipótese candidaturas amparadas em relações parentais ou em algo alheio a meritocracia!

Quem quiser achar ruim que ache, mas essa é minha sincera opinião!

Blog do Flávio

Um comentário:

  1. Vamos julgar currículo...
    #Apoiadissimo
    Invés de politicagem em cidades pequenas deveriam dar oportunidades não para os babões de plantão mais para pessoas capacitadas e qualificadas.

    ResponderExcluir

 
Copyright © 2018. Blog do Flávio Fernandes.
Creative Commons License