Buba emite nota e esclarece decisão do TJPB



O deputado estadual Buba Germano (PSB) emitiu, nesta quinta-feira (03), uma nota esclarecendo a denúncia que resultou na sua condenação pelo Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), nesta quarta-feira (02).
 
De acordo com o parlamentar, a condenação foi injusta. Ele destacou que entrará com recurso e que as provas dos autos são todas ao seu favor. Confira abaixo a nota na íntegra.
 
NOTA À POPULAÇÃO
 
O deputado estadual Buba Germano, em relação à injusta condenação que lhe foi imposta pelo Tribunal de Justiça da Paraíba, vem a público dizer que a recebe com serenidade. Por sua defesa técnica, manejará os recursos cabíveis, pois sabe que é inocente e que as provas dos autos são todas ao seu favor.
 
O auxílio dado à Paróquia de Picuí para realização da secular festa de São Sebastião é uma antiga tradição e que atrai devotos de várias regiões da Paraíba e do Rio Grande do Norte.
 
Os depoimentos do padre Anchieta, da secretária paroquial e de tantas outras pessoas honradas, além do fato do cheque ter sido depositado na conta da Diocese, revelam os cuidado e zelo que sempre tive com o dinheiro público.
 
Por outro lado, o denunciante Olivânio Remígio, no dia 08/11/2005, durante audiência da Queixa Crime nº 027.2005.000.934-2, não apenas se retratou das calúnias perante o Juiz da Comarca de Picuí, mas o fez também da Tribuna da Câmara quando se manifestou nos seguintes termos:
 
“Comprometendo-se o Sr. Olivânio Dantas Remígio a apresentar as explicações de público, ou seja, no recinto da Câmara Municipal, na próxima sessão ordinária daquela edilidade municipal, onde haverá de expor que não afirmou e nem tão pouco tem elementos para dizer que houve desvio de dinheiro público, e que apenas solicitou informações por parte da Prefeitura municipal sobre a destinação dos recursos gastos na festa de Padroeiro e que apenas foi mal interpretado.”
 
Há de se esclarecer que o nosso mandato continua incansavelmente a serviço da população. A decisão proferida no dia de ontem, 02/12/2020, ainda deverá ser publicada, cabendo recurso no âmbito do próprio TJPB, como nas instâncias superiores.
 
Acredito que a Justiça haverá de reparar esse grave equívoco. Confiante na justiça divina e na consciência de minha conduta sempre proba e voltada ao bem público, seguimos na missão que nos foi confiada pelo povo de Picuí e da Paraíba.
 
Finalizo a presente nota agradecendo aos inúmeros votos de solidariedade dos amigos, familiares e da classe jurídica, que demonstrou irresignação com a desproporcionalidade arrazoada com que o caso foi tratado.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem